Blog

Como é que a biometria pode ajudar no combate ao Covid-19 ?

Almas Team

O recente destaque mundial em todos os media relativamente ao Coronavirus, fez com que as pessoas ficassem compreensivelmente assustadas ao tocar em superfícies compartilhadas. Isso pode incluir leitores biométricos de impressões digitais ou scanners manuais. Podemos ver que, devido à menor área de superfície das lentes, os leitores apresentam menos "terreno fértil" para a permanência de vírus ou bactérias. Ainda assim, na Almas Industries, sabemos que os leitores biométricos de impressões digitais podem realmente melhorar a higiene e ajudar a impedir a propagação do Covid-19.

Com o impacto mundial da pandemia do Coronavírus  multiplicando-se exponencialmente, parece muito relevante perceber o que são vírus, bactérias e vias de transmissão. Qual é a diferença entre uma infecção viral e uma infecção bacteriana? Que medidas podemos tomar para nos manter saudáveis? E como os leitores biométricos podem ajudar a impedir a propagação de doenças?

 

Bacterias vs Virus

Ambos causam doenças, às vezes fatais, mas biologicamente são completamente diferentes. Enquanto bactérias são organismos vivos, vírus não passam de partículas infecciosas. Talvez a distinção mais crucial entre bactérias e vírus seja que os antibióticos geralmente matam bactérias, mas não são eficazes contra vírus.

Bactérias

As bactérias são microorganismos unicelulares que prosperam em muitos tipos diferentes de ambientes. Algumas variedades vivem em extremos de frio ou calor. Outras bactérias simbióticas moram no intestino das pessoas, onde ajudam a digerir os alimentos. A maioria das bactérias não causa danos às pessoas, mas há exceções. Algumas bactérias (Torulopsis Glabrata) podem causar doenças violentas e podem sobreviver até cinco meses em superfícies imóveis. As infecções causadas por bactérias incluem Faringite, tuberculose e estafilococos.

Vírus

Os vírus são ainda menores que as bactérias, mas exigem que os hospedeiros vivos (por exemplo pessoas, plantas ou animais) se multipliquem. Caso contrário, eles não conseguem sobreviver. Quando um vírus entra no seu corpo, ele invade algumas das suas células e assume o controle das “máquinas”, redireccionando-o para produzir o vírus. As doenças causadas por vírus incluem varicela, AIDS e uma gripe comum. Se não houver uma fonte de alimentação nos hospedeiros o vírus morre relativamente rápido, reduzindo assim a propagação. Os testes do coronavírus indicam que o vírus sobrevive desde várias horas a 2-3 dias em plástico e aço inoxidável. Um tempo muito inferior ao das bactérias. Um grande problema com os vírus é que os portadores podem espalhá-los antes que os sintomas se comecem a manifestar. Os vírus por si só não se podem multiplicar e devem infectar as células de um ser vivo para se reproduzir.

 

Transferência de vírus

Com a chegada do Coronavírus, a higiene é mais importante do que nunca, se queremos parar a propagação da doença e garantir que todos permaneçamos saudáveis.

Atualmente ninguém sabe exatamente como o Coronavírus se propaga de pessoa para pessoa. No entanto, como é um vírus, é mais provável que seja transmitido da mesma maneira que a constipação ou gripe comum, através de gotículas no ar.

Gotas carregadas de vírus da gripe podem permanecer infecciosas por várias horas, dependendo de onde caem. Os vírus geralmente permanecem ativos por mais tempo em aço inoxidável, plástico e superfícies duras semelhantes do que em tecidos e outras superfícies macias. Outros fatores, como a quantidade de vírus depositada numa superfície, a temperatura e humidade do ambiente, também determinam por quanto tempo os vírus permanecem ativos fora do corpo.

É possível contrair um vírus depois de manusear um objecto que absorveu o vírus expelido anteriormente por alguém contagiado, seja através de espirro, tosse ou pelo contacto directo com o objecto. Mas o contacto directo com uma pessoa infectada – como um aperto de mão ou a respiração de gotículas de uma tosse ou espirro – é a maneira mais comum pela qual esses vírus se propagam.

 

Serão as maçanetas das portas um perigo?

É praticamente impossível evitar o contacto com objectos comuns do dia a dia, como maçanetas, torneiras, carrinhos de compras ou autoclismos. Muitos estudos destacaram que as maçanetas das portas são potencialmente o meio mais comum pelo qual as bactérias são transferidas de pessoa para pessoa.

O isolamento de micróbios que contaminam as maçanetas das portas está bem documentado (por exemplo, Rusin et al. 2002, Nworie et al. 2012; Onwubiko & Chinyeaka 2018). Ruskin e seus colegas demonstraram que o número de bactérias transferidas das maçanetas das portas para as mãos e depois das mãos para os rostos era alto. Curiosamente, as maçanetas tradicionais estavam mais contaminadas do que as maçanetas redondas. Isso pode ocorrer porque quanto maior a superfície da maçaneta da porta, mais fácil é de limpar (Fakhoury e Nawas 2018).

Um outro estudo realizado num hospital nos EUA descobriu que os puxadores das portas continham a maior proporção de contaminação de bactérias por utilização (6,38), seguido pelos puxadores verticais (frequentemente utilizadas em espaços comerciais) (2,24) e depois pelas portas de empurrar (sem maçanetas) (1,2). Eles teorizam que essa diferença pode ocorrer porque os puxadores e maçanetas exigem um maior contacto físico para abrir as portas, levando a uma maior concentração de bactérias.

 

As soluções biométricas são melhores!

O destaque mundial dos media sobre o Coronavírus fez com que as pessoas ficassem compreensivelmente assustadas ao tocar em superfícies compartilhadas. Isso pode incluir leitores biométricos de impressões digitais ou scanners manuais. Podemos ver que, devido à menor área de superfície das lentes, os leitores apresentam menos terreno fértil para a permanência de vírus ou bactérias. Ainda assim, na Almas Industries, sabemos que os leitores biométricos de impressões digitais podem realmente melhorar a higiene e ajudar a impedir a propagação.

Colocar dispensadores de desinfectante para as mãos na parede ao lado dos leitores, e instruir os colaboradores  a usá-los antes da leitura da sua impressão digital, previne que tanto as lentes do leitor como a maçaneta da porta encontram-se livre do vírus.

Os leitores biométricos e as ventosas electromagnéticas substituem as maçanetas e os métodos tradicionais de abertura de portas, reduzindo assim os contacto com as superfícies, para aceder às instalações.

No caso de alguém ficar doente (por exemplo, com Coronavirus), o software da Almas Industries mostrará quem entrou nas instalações e em que momento. Esses dados permitem rapidamente verificar quantas pessoas estiveram em contacto com o infectado. Desta forma poderão ser tomadas medidas para ajudar a impedir que o vírus se propague em grande escala.

 

Qual a melhor forma de se proteger (e a toda a sociedade)?

A actual mutação do vírus, bem como o seu comportamento nas mais diversas superfícies ainda não é clara, portanto, mais vale precaver-se do que correr o risco de se infectar a si e a quem o rodeia. As melhores práticas são:

  • Promover a lavagem das mãos recorrentemente e de forma adequada;
  • Providenciar desinfectante para as mãos;
  • Garantir que os locais de trabalho são higienizados frequentemente;
  • Sensibilizar os colaboradores de que se apresentarem sintomas, devem ficar em quarentena e ligar para o SNS 24.

Estes procedimentos ajudarão a mantê-lo saudável e sem sintomas, impedindo a propagação do vírus.

A Almas Industries está comprometida em apoiar todos os nossos clientes durante este período de incerteza. As nossas soluções são projectadas para aumentar o nível de segurança das suas instalações, e mesmo numa situação como a actual, o leitor biométrico, apesar de ser um veículo de contacto, é uma solução mais segura que os métodos alternativos e tradicionais.

Se a sua empresa encerrar provisoriamente, tem a certeza de que as suas instalações estão seguras e protegidas?

 

Pode sempre entrar em contacto connosco pelo número: 223 774 280 ou através do e-mail: [email protected]

 

The Way Security Should Be

Compartilhar